Login  Recuperar
Password
  5 de Julho de 2020
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Google Plus Siga a nossa página Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no Picasa Siga-nos no YouTube Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Regional
Gravar em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Sete casos confirmados de Covid-19 em conserveira de Peniche

A fábrica de conservas European Seafood Investiment Portugal (ESIP), em Peniche, tem 300 trabalhadores em quarentena, devido a sete casos confirmados de infeção entre os 850 funcionários.

07-06-2020 |

No âmbito do plano de contingência a unidade tinha separado turnos e áreas, o que permitiu confinar o eventual foco de contaminação apenas aos trabalhadores que estiveram em contacto com os infetados, por isso, os restantes não necessitam de estar em quarentena e mantêm a conserveira a funcionar.
Foram feitos testes a 390 trabalhadores e 150 regressam ao trabalho nesta segunda-feira.
Mariana Rocha, trabalhadora da fábrica e dirigente do Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura e das Indústrias de Alimentação, Bebidas e Tabacos de Portugal (SINTAB), manifestou à agência Lusa preocupação por "haver trabalhadores a trabalhar na fábrica a menos de um metro de distância", ainda que usem máscara e adotem outras medidas de higienização e proteção.
Também nas salas de refeição, onde têm de tirar a máscara para se alimentarem, estão "a menos de um metro de distância por falta de espaço".
A dirigente sindical, que teme que os casos possam aumentar nesta indústria conserveira, alertou também que a empresa está a contratar trabalhadores temporários, sem os sujeitar a teste, e que há falta de lavatórios para todos os trabalhadores, uma vez que, em alguns setores, a desinfeção com álcool gel não é suficiente para ficarem com as mãos limpas.
Confrontado pela Lusa sobre as críticas do sindicato, John Merva, diretor de comunicação para a Europa da Thai Union, multinacional tailandesa proprietária da ESIP, respondeu que, desde abril, foram criados quatro refeitórios, "reduzindo o número de trabalhadores em cada um e permitindo o distanciamento de um metro".
As medidas foram inspecionadas e aprovadas pelas autoridades em maio, antes de terem surgido os casos de infeção, assegurou.
A indústria conserveira está a efetuar "trabalhos para melhorar as medidas de distanciamento social e a rever a separação de turnos para garantir a máxima segurança", adiantou.
Desde que foi detetado o primeiro caso positivo, a conserveira desinfetou as áreas que foram usadas por essa trabalhadora, incluindo salas de descanso, vestiários e áreas laborais.
Dentro do seu plano de contingência, a unidade já tinha adotado a medição de temperatura à entrada de cada turno, o uso de equipamentos de proteção individual, a higienização regular das mãos e o reforço da limpeza.
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Booking.com
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar