Login  Recuperar
Password
  19 de Julho de 2018
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Google Plus Siga a nossa página Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no Picasa Siga-nos no YouTube Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Regional
Imprimir em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Comemoração do 104º aniversário da vila do Bombarral

Presidente da Câmara e oposição com visões diferentes para o concelho

O Município do Bombarral comemorou os 104 anos da criação do concelho, com quatro dias de atividades lúdicas e culturais, mas com especial realce para a atribuição da Medalha de Honra do Município à GNR, durante a sessão solene da Assembleia Municipal. A sessão ficou marcada pelo habitual discurso do presidente da Câmara Municipal, Ricardo Fernandes, que destacou mais uma vez a “urgência a bem do Bombarral e dos bombarralenses de construir um novo ciclo para o nosso concelho”.

04-07-2018 | Mariana Martinho

Hastear da bandeira
[+] Fotos
Hastear da bandeira
O feriado iniciou-se na passada sexta-feira com o habitual hastear das bandeiras no edifício dos Paços do Município, ao som do hino nacional, interpretado pela banda do Círculo de Cultura Musical Bombarralense. Após esse momento, os presentes seguiram para a sessão solene da Assembleia Municipal, que decorreu no Salão Nobre dos Paços do Município.
O presidente da Câmara Municipal, Ricardo Fernandes, começou por fazer uma “reflexão”, assente em dois pontos fundamentais. Um é, em que “ponto estamos ou se quiserem, qual o ponto de partida”, e o outro “é onde queremos chegar ou que objetivos queremos fazer cumprir”.
Esse ponto de partida, segundo o autarca, dita “um concelho que ano após ano se tem distanciado do crescimento e do desenvolvimento dos restantes da região Oeste”, sem investimento e inovação”. “Nem tão pouco aproveitaram os momentos certos que, de quadro comunitário em quadro comunitário nos deram janelas de oportunidades para nos distanciarmos e nos diferenciarmos”, frisou.
Na opinião do edil, “fomos deixando que, de desculpa em desculpa, justificação aqui e ali, problemas, decisões erradas ou meramente ausência delas, ditassem o resultado deste ponto de partida”. Destacou ainda o fato de o municípios ter de pagar em “consequência de erros do passado”, o que afetará a estabilidade das finanças da autarquia.
Por tudo isto, o autarca sublinhou que os bombarralenses “mereciam mais ao longo destes anos” e nesse sentido, “depositaram a confiança em nós”.
Como tal, o atual executivo apostou no planeamento, no envolvimento e na abertura da discussão politica à população, ao tecido empresarial, bem como a “todos os demais agentes, que compõem a nossa comunidade”, visto que “são eles que, melhor do que ninguém, conhecem a realidade mais próxima”. Aliás, afirmou que “disto depende o Bombarral, ao tempo de partida”.
Igualmente mencionou alguns dos objetivos para este mandato, que envolvem sobretudo “a ambição, a coesão e a motivação para traçar num espaço temporal a visão do futuro para o Bombarral”. Além disso, afirmou que “não iremos trabalhar para ciclos autárquicos”, mas sim no “desenvolvimento de um concelho, onde todos contam”.
Ricardo Fernandes está empenhado na promoção de uma reforma para uma modernização administrativa efetiva, em que se pretende modernizar a prestação dos serviços, com “mais e melhores meios, capazes de corresponder às novas necessidades da população”. Além disso, pretende criar as condições para a captação de novo investimento, com especial foco no setor agroalimentar, e ainda envolvendo o estado central.
Outro objetivo prende-se com a promoção do turismo no concelho, através da criação de circuitos turísticos, assentes no estabelecimento de parcerias com pontos de atração, como o Budha Eden, o Santuário do Bom Jesus do Carvalhal e as grutas da Columbeira.
A par disso, também destacou a necessidade de modernização o concelho, no que diz respeito às acessibilidades, à manutenção das zonas verdes, bem como dos espaços e dos equipamentos públicos.
Para o autarca, “um concelho moderno faz-se também da sua capacidade de oferecer mais e melhores serviços”, por isso “urge de igual forma, apoiar e promover o comércio tradicional”. Nesse sentido, a autarquia está empenhada na promoção de ações que dinamizem a procura e o envolvimento dos comerciantes, bem como dos roteiros turísticos com informação dos locais a visitar.
Relativamente aos assuntos como a modernização da Linha do Oeste, bem como a localização do novo hospital central do Oeste, o autarca afirmou que “não assumiremos vez alguma um sentimento de pequenez, ou nos acobardaremos em expor a nossa vontade e determinação, quando estiverem a ser discutidas matérias de elevado relevo para a região oeste”. Aliás, esclareceu que “não é uma visão egocêntrica, mas sim a que melhor pode responder às necessidades da região”.
Contudo, “hoje é dia de festejar o nosso dia”, que contou com o “envolvimento de todos os bombarralenses, demonstrando também eles a confiança neste novo ciclo e na renovação da sua autoestima”.

Bombarral “precisa de alguém” com medidas objetivas e concretas

A sessão solene também contou com a intervenção dos representantes de cada partido político com assento neste órgão autárquico, tendo sido o primeiro a intervir o representante do CDS-PP, Rui Cunha.
Começou por salientar que o município “precisa de alguém que seja sinónimo de medidas objetivas e concretas, o que infelizmente não tem acontecido”. Nesse sentido criticou o facto do atual executivo, passado meio ano de mandato, não ter despendido quaisquer verbas para os vários “compromissos assumidos”, bem como o fato do mercado municipal “continuar a ser o parente pobre deste concelho”.

“Esta terra deixe de ser uma feira de vaidades”

Igualmente o representante da CDU, Samuel Silva sublinhou que o partido espera que de “uma vez por todas, esta terra deixe de ser uma feira de vaidades de uns e um feudo eleitoral de outros”.
Apesar da CDU ter defendido que “esta não era a melhor solução para recolocar o concelho no rumo certo, reconhecemos que existe vontade deste atual executivo, em recolocar o Bombarral onde merece”. Contudo, alertou que “essa vontade não chega”.
Para Samuel Silva, o “atual executivo não mostrou ainda que está à altura das esperanças e dos sonhos dos bombarralenses”, no que diz respeito, nomeadamente à revitalização do Bombarral.
Aproveitou também para afirmar que “os bombarralenses não querem mais políticos profissionais, nem politiquices, discursos muito bonitos e aflorados, mas vazios de intenções e ideias”, por isso, “nós que pertencemos aos órgãos autárquicos temos esse dever de trabalhar, em prol do Bombarral”.

PSD na “base do desenvolvimento de muitas estruturas básicas”

A representante do PSD, Joana Caetano, aproveitou para realçar o “trabalho sério dos nossos autarcas, que estiveram na base da construção de diversas infraestruturas do concelho”.
Contudo, alertou que a “vontade popular expressa nas últimas eleições espera que os atuais eleitos tenham igual postura, apostando na continuidade da construção do nosso futuro”.

“É tempo de ter uma nova atitude”

Para terminar a representante do PS, Susana Manco, relembrou que os “atuais tempos exigem uma nova atitude, em torno do nosso património cultural”, bem como em relação às coletividades do município. Essas, segundo a representante do PS, têm sido submetidas a “um hábito de comiseração e pedinchice”.
Nesse sentido, apontou que é “tempo de acabar com esta forma de olhar para o associativismo e de ter uma nova atitude, que manifesta uma verdadeira gratidão e enaltecimento pelo serviço público desenvolvido por estas associações”. Igualmente enalteceu a atividade desenvolvida pela Caixa de Crédito Agrícola Mútuo do Bombarral, que “mais uma vez associou-se à defesa da nossa herança cultural ao financiar as estátuas do Jardim das Quatro Estações”, sendo um “verdadeiro exemplo do dever cívico e do amor à terra, que deve ser sublinhado neste dia”.
Outro dos assuntos evidenciados pela responsável foram as “carências do concelho”, que “não podemos fazer de conta que não existem”. Aliás, afirmou que “a situação é crítica devido a muitos anos de inoperância e ausência de ação”, por isso, esclareceu que é “tempo de construir a memória futura”.

Entrega da Medalha de Honra do Município à GNR

Ao completar cem anos de atividade no concelho do Bombarral, a Câmara Municipal decidiu homenagear a GNR, com a entrega da Medalha de Honra do Município, durante a sessão solene da Assembleia Municipal comemorativa do 104º aniversário da criação do concelho, sendo um dos momentos mais marcantes da sessão.
Presente esteve o comandante territorial de Leiria da GNR, tenente-coronel Jorge Caseiro, bem como o comandante do Posto Territorial do Bombarral, primeiro-sargento Nelson Batista.
Para o tenente-coronel, esta distinção é “uma importante prova de reconhecimento do nosso trabalho” e ainda “um incentivo para continuarmos a desenvolvê-lo”. Por isso, os “bombarralenses podem continuar a contar com o empenho e a dedicação de todos os militares da GNR para garantir a segurança do concelho”.
Ricardo Fernandes aproveitou para enalteceu o serviço da GNR prestado à população ao longo destes anos, sobretudo pela proximidade, envolvimento e contributo.
O presidente da Assembleia Municipal, Jorge Gabriel, afirmou que esta atribuição constitui “uma justa homenagem à instituição”, que tem contribuído para a paz pública e para a boa relação social.
As comemorações prosseguiram com uma tarde dedicada aos pais e filhos, que puderam desfrutar dos insufláveis.
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Booking.com
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar