Login  Recuperar
Password
  23 de Setembro de 2018
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Google Plus Siga a nossa página Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no Picasa Siga-nos no YouTube Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Ocorrências
Imprimir em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

População de Peniche preocupada com aumento de salvamentos na ilha da Berlenga

Até à semana passada já tinham sido realizados este ano quinze salvamentos na ilha da Berlenga, com evacuação dos sinistrados para o hospital, a maioria devido a quedas nos acessos ou trilhos, que provocam ferimentos.

22-08-2018 | Francisco Gomes

Embarcações do Instituto de Socorros a Náufragos têm ido buscar as vítimas
Embarcações do Instituto de Socorros a Náufragos têm ido buscar as vítimas
Desde maio, quando arranca a época de transporte em barco de carreira regular, tem-se registado uma subida do número de ocorrências em relação a anos anteriores no mesmo período, admitiu a capitania do porto de Peniche.
A situação tem chamado a atenção da população de Peniche, que assiste à chegada das vítimas à estação salva-vidas do Instituto de Socorros a Náufragos (ISN), de onde são depois levadas para o hospital, após os primeiros socorros prestados por equipas médicas que se deslocam à ilha nas embarcações do ISN. Na semana passada houve também um resgate realizado por um helicóptero da Força Aérea.
“Os casos repetem-se com uma periodicidade assustadora e não se vislumbra qualquer tomada de providência para, no mínimo, minorar os tempos de assistência a quem necessite. Com tantas centenas de pessoas a desfrutar daquela ilha paradisíaca seria de esperar que, pelo menos na época mais forte, existisse lá um médico”, reclama Carlos Tiago.
Há também quem defenda que a Marinha devia ali ter em permanência uma equipa de resgate ou pelo menos um posto de atendimento com um técnico de emergência pré-hospitalar e um enfermeiro com formação em suporte imediato de vida durante os meses de verão
Sobre as razões de tantas ocorrências, são apontadas várias causas: “Gente a mais, um vai e vem permanente de pessoas, carreiros degradados e pouco civismo”. A queda de pequenas pedras poderá também ter contribuído para alguns acidentes, já que os turistas podem escorregar ao pisarem as pedrinhas. Foi vedada uma zona de circulação pública.
Os chorões, plantas rastejantes que tinham o propósito de suster a queda de pedras, acabaram por aumentar a erosão, devido à penetração das raízes no solo, pelo que têm vindo a ser retirados.
O Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas não chegou ainda a concretizar a intenção de reduzir o número de visitantes da reserva natural, cuja carga diária é de 350 pessoas, um limite diversas vezes ultrapassado nos meses de verão.
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Booking.com
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar