Login  Recuperar
Password
  20 de Agosto de 2018
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Google Plus Siga a nossa página Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no Picasa Siga-nos no YouTube Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Desporto
Imprimir em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Portadores de deficiência aprendem a surfar

Um dos melhores surfistas portugueses está a proporcionar a portadores de deficiência de várias instituições a experiência de surfar uma onda. A iniciativa tem passado por diversas praias de norte a sul do país.

01-08-2018 | Francisco Gomes

Os utentes da Cercina com o surfista Hugo Vau
Os utentes da Cercina com o surfista Hugo Vau
Durante dez dias, Hugo Vau percorre dez praias para estar em contato com jovens e adultos de várias instituições, algumas delas dedicadas aos portadores de deficiência.
Na Nazaré, foram os utentes da Cooperativa de Ensino e Reabilitação de Crianças Inadaptadas (Cercina) a beneficiarem da aula de surf.
Uma experiência emocionante que os deixou a sonhar. “Só custa a primeira vez. Quem cai sem se aleijar é bom sinal. O truque é não nos metermos logo em pé para apanhar uma onda e ter equilíbrio no corpo”, contou Thierry Batista, utente da Cercina, de 36 anos.
Para Silvino Palhoça, outro utente da Cercina, de 50 anos, “foi a primeira vez e foi excepcional. Senti emoção em cima da prancha”.
“É divertido, estou a gostar. Não é difícil, temos é de ter prática. Gostava de ser como o McNamara”, relatou Ana Isabel, utente da Cercina, de 26 anos.
Para Hugo Vau, que faz parte da equipa de surf e resgate do norte-americano Garret McNamara, a ação contribui  igualmente para a preservação das praias e dos mares. “Normalmente quando gostamos de algo temos mais cuidado. Através desse gosto pelo mar procuramos também sensibilizá-los para a questão ambiental. Acima de tudo é criar-lhes um dia diferente e provocar-lhes um sorriso no rosto ao surfarem uma onda”, manifestou o surfista. “São bons aprendizes e não têm medo nenhum”, sublinhou, defendendo que “era bom que tivessem este tipo de experiências mais vezes”.
Em algumas praias os participantes fazem também ação de limpeza, mas como a Nazaré não precisava, apostou-se na divulgação da vertente inclusiva da praia. “Este ano as acessibilidades à praia são muito maiores, com forte apoio a quem é portador de mobilidade reduzida”, vincou Walter Chicharro, presidente da Câmara da Nazaré.
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Booking.com
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar