Login  Recuperar
Password
  13 de Julho de 2020
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Google Plus Siga a nossa página Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no Picasa Siga-nos no YouTube Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Escolhas do Editor, Ocorrências
Imprimir em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Pai de Valentina trazido às Caldas ao tribunal de menores

O pai de Valentina, a menina de nove anos que foi morta pelo progenitor e cujo corpo foi posteriormente escondido com a colaboração da madrasta, foi conduzido na passada segunda-feira ao Juízo de Família e Menores do Tribunal das Caldas da Rainha.

16-06-2020 | Francisco Gomes

Sandro Bernardo, na altura em que eram feitas buscas pela menina
Sandro Bernardo, na altura em que eram feitas buscas pela menina
Tratou-se da concretização de uma formalidade relacionada com o processo tutelar das duas meias-irmãs da criança assassinada.
A diligência judicial serviu para transmitir a Sandro Bernardo, de 32 anos, o impedimento de exercício do poder paternal e as providências necessárias à defesa dos três menores meios-irmãos da criança morta a 6 de maio deste ano em Atouguia da Baleia, Peniche.
Só dois são filhos em comum do casal que está preso – duas meninas, de quatro anos e de oito meses. O outro menor, filho da madrasta de Valentina, Márcia Bernardo, de 38 anos, é um rapaz de doze anos. Os três estão por agora a viver com familiares.
Nesta deslocação ao Juízo de Família e Menores do Tribunal das Caldas da Rainha apenas acompanharam o pai de Valentina os guardas da cadeia de Lisboa onde Sandro se encontra em prisão preventiva.
Ao contrário do que se passou no Tribunal de Leiria, no qual decorre o processo relacionado com o homicídio e onde estava à sua espera uma multidão enfurecida, esta formalidade judicial passou despercebida. Foi uma diligência rápida e sem qualquer aparato.
Sandro entrou discretamente por uma porta traseira do tribunal das Caldas da Rainha e não chegou a cruzar-se com utentes. Em poucos minutos regressou à cadeia, para continuar à espera do julgamento pelo homicídio, o que só deverá ocorrer em 2021.
O crime teve lugar quando Valentina estava a passar algumas semanas na casa do pai e da madrasta. O corpo da menina seria encontrado num pinhal tapado com arbustos, local agora preenchido com mensagens, balões, flores e peluches em homenagem à criança.
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Booking.com
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar