Login  Recuperar
Password
  19 de Julho de 2018
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Google Plus Siga a nossa página Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no Picasa Siga-nos no YouTube Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Ocorrências
Gravar em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Confessa ter assassinado mulher com golpe de faca no pescoço

O homem suspeito de ter morto a mulher à facada no Chão da Parada, nas Caldas da Rainha, a 20 de novembro do ano passado, confessou na passada quinta-feira, no Tribunal de Leiria, que foi o autor do crime, usando uma faca de cozinha após uma discussão onde casa onde viviam.

27-06-2018 |

Segundo a agência Lusa, Claude Inácio, de 38 anos, acusado da prática de um crime de homicídio qualificado, contou que ao chegar a casa de madrugada, entre as 01h45 e as 02h30, após ter encerrado o café que era proprietário na Cidade Nova, encontrou a mulher, Sandrina Inácio, de 37 anos, deitada no sofá com o filho mais novo e questionou-a se não eram horas da criança já estar deitada.
Ao coletivo de juízes, o arguido contou que "isso já era motivo de discussão há algum tempo, porque eu entendia que o meu filho devia estar a descansar e ela costumava estar com ele no sofá".
A discussão, segundo revelou ao tribunal, prosseguiu e a vítima tê-lo-á acusado de "não ter ambição nenhuma" e "de ser um fraco".
"Fui buscar uma faca à cozinha [com vinte centímetros de lâmina], ela começou a chamar-me nomes e eu disse: qualquer dia corto-te o pescoço. Ela respondeu: queres cortar, corta”, relatou. Ele acabou por desferir-lhe um golpe na zona do pescoço, tendo dessa forma provocado a sua morte
O arguido admitiu que matou a mulher quando esta se encontrava sentada no sofá e com os três filhos, de 2, 9 e 13 anos, a dormir noutra divisão da casa.
Admitiu que “senti culpa. Agi de momento. No fundo, até gostava dela". Após o crime, escreveu uma carta dirigida ao irmão, a quem telefonou a contar o que se tinha passado, e tentou suicidar-se, cortando o pescoço e espetando uma faca no peito. Foi internado no hospital de Coimbra em estado grave e em coma induzido. Mas ficou livre de perigo.
Segundo o testemunho da mãe da vítima, "eram um casal amigo e nunca houve maus tratos. Ele era uma pessoa impecável, não tenho nada a dizer dele. Não consigo perceber. Ele adorava a mulher e adorava os filhos. Era um excelente pai e ela era uma excelente mãe".
O julgamento prossegue no dia 2 de julho.
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Booking.com
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar