Login  Recuperar
Password
  26 de Setembro de 2018
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Google Plus Siga a nossa página Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no Picasa Siga-nos no YouTube Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Regional
Gravar em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Trabalho irregular na hotelaria e restauração

O Sindicato dos Trabalhadores da Hotelaria e Restauração do Centro vai pedir à Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) para intervir sobre o trabalho excessivo, salários abaixo da tabela e jovens sem contratos nestes setores.

22-08-2018 |

"Temos muitos trabalhadores em que o horário de trabalho não está a ser registado, que estão a trabalhar muitas horas, que estão a receber abaixo do salário, que não têm dia de descanso nesta altura do ano de maior fluxo turístico", justificou à agência Lusa António Baião, presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria da Hotelaria, turismo, Restaurantes e Similares do Centro.
O dirigente sindical, que na semana passada visitou unidades da restauração e da hotelaria nos concelhos de Peniche, Óbidos e Nazaré, exemplificou que "a maior parte dos trabalhadores da restauração está a trabalhar 10 e 11 horas por dia, sem serem registadas, o que significa que o trabalhador nunca recebe por todo trabalho extraordinário e o patrão não declara em termos de impostos este trabalho".
Já na hotelaria, António Baião denunciou que existem casos de "assédio moral" por parte das chefias, no sentido de obrigar os trabalhadores, em concreto empregados de andar, "a aumentar o ritmo de trabalho e o número de horas sem serem depois pagos", para fazer face à lotação das unidades.
Nos dois setores, o sindicato encontrou também jovens estudantes ou recém-formados, "a desempenhar postos de trabalho de caráter permanente, que [alegadamente] não são declarados e não têm contrato de trabalho".
A ação do sindicato desenvolve-se sob o lema "Em Agosto a Luta não vai de Férias" e destina-se a contactar com os trabalhadores com o intuito de os informar sobre os seus direitos laborais e conhecer a realidade na maioria dos destinos de maior fluxo turístico da região centro.
O sindicato negociou com a Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) uma nova tabela salarial, que ambas as partes deverão assinar ainda este mês, que está a ser dada a conhecer aos trabalhadores.
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Booking.com
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar