Login  Recuperar
Password
  20 de Janeiro de 2019
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Google Plus Siga a nossa página Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no Picasa Siga-nos no YouTube Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Caldas da Rainha
Gravar em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Precários do CHO inicialmente excluídos vão ser regularizados

Os precários do Centro Hospitalar do Oeste (CHO) que estavam excluídos pelo júri de concurso do processo de regularização, com alegada insuficiência de qualificações, viram confirmada na semana passada a sua inclusão, através da publicação da última lista de trabalhadores a regularizar, referente a 145 assistentes operacionais. No total, foram admitidos a regularização 240 trabalhadores através do programa de regularização extraordinária dos vínculos precários na administração pública.

21-12-2018 |


“Desde o primeiro dia em que alguns de nós fomos notificados pelo CHO com a decisão de exclusão, denunciámos esta situação, pois tratava-se de um boicote à regularização de muitos precários do Estado. Organizámo-nos e contestámos a decisão por escrito, individualmente. Contatámos todos os partidos políticos, afirmando a injustiça por nós sentida, pois trabalhadores e trabalhadoras com muitos anos de trabalho, nos hospitais de Torres Vedras, Caldas da Rainha e Peniche, que foram o suporte de muitos serviços essenciais, não poderiam deixar repentinamente de ser necessários apenas por não terem um determinado grau de qualificações académicas”, declarou Carla Jorge, do movimento dos precários.
O ministro da saúde da altura, Adalberto Campos Fernandes, foi confrontado com a situação na Assembleia da República, pelo deputado do Bloco de Esquerda, José Soeiro, e afirmou que esta situação representava “um erro processual” que já estaria em resolução. No entanto, os trabalhadores nunca receberam essa confirmação por parte da antiga administração do CHO e muitos foram os casos em que se levantaram dúvidas sobre o cumprimento da lei e das indicações do ministro.
“A nova administração do CHO em poucos dias resolveu o assunto. Hoje confirmamos que tínhamos razão, deu-se mais um passo para que se venha a fazer justiça, pois estamos todos mais perto de ser integrados nos quadros. Vale a pena lutar, não baixaremos os braços até que tal aconteça”, vincou Carla Jorge.
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Booking.com
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar