Login  Recuperar
Password
  16 de Agosto de 2018
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Google Plus Siga a nossa página Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no Picasa Siga-nos no YouTube Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Ocorrências
Imprimir em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

População em redor da Mata Nacional das Mestras receia incêndios

A população em redor da Mata Nacional das Mestras, nas Caldas da Rainha, mostra-se preocupada com a eventualidade de poder ocorrer um incêndio naquela área arborizada. Apesar de ter havido uma limpeza junto ao espaço florestal, há zonas cobertas de mato e silvas.

01-08-2018 | Francisco Gomes

Mata foi alvo de uma limpeza mas há zonas cobertas de mato e silvas
Mata foi alvo de uma limpeza mas há zonas cobertas de mato e silvas
“Floresta protegida é vida garantida”, diz a inscrição que identifica a Mata Nacional das Mestras, em Carvalhal Benfeito, nas Caldas da Rainha. A frase está no que hoje são ruínas e que antigamente era a casa do guarda florestal.?O estado de abandono destas instalações reflete a preocupação da população em redor da mata gerida pelo Estado. Apesar do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas ter efetuado uma limpeza numa faixa de 50 metros à volta de edificações e instalações inseridas no espaço florestal, uma vez que há zonas que aparentam estar cobertas de mato e silvas e ficou prevista uma nova intervenção de limpeza, que se desconhece quando terá lugar, a população diz ser já uma necessidade que receia poder arrastar-se no tempo, agravando uma situação que atualmente não é identificada como de risco elevado de incêndio, mas que de um momento para o outro pode mudar.
“Aquilo é uma mata muito grande e se há um fogo ficamos todos aflitos, porque há casas em redor da mata só com a estrada a dividir. Devia haver uma limpeza grande porque é um barril de pólvora”, contou um morador na Cumeira.
“Se atravessa a estrada somos atingidos. É o nosso medo. Se o Estado exige limpezas, porque é que tem a mata neste estado? Deve dar o exemplo”, manifestou outra moradora.
“Graças a Deus que nunca houve nada que preocupasse, mas há sempre uma primeira vez e nunca se sabe quando acontece”, rematou a filha de uma residente na aldeia.
Apesar da maior parte das espécies nos 84 hectares arborizados serem sobreiros e folhosas, apontados como não sendo altamente inflamáveis, e não existirem casas dentro da mata nacional, em redor há algumas povoações.?As populações das Mestras, da Cumeira, do Casal do Rio e da Vigia, em redor desta mata nacional nas Caldas da Rainha, não se esquecem da tragédia dos incêndios no ano passado em Portugal e receiam que algo do género possa ali acontecer, mesmo quando o Estado considere pouco provável. É que a História já se encarregou de fazer ver que tudo é possível.
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Booking.com
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar