Login  Recuperar
Password
  19 de Fevereiro de 2019
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Google Plus Siga a nossa página Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no Picasa Siga-nos no YouTube Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Cultura
Imprimir em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Conferência do Tenente-Coronel Pedro Marquês de Sousa

No passado domingo, decorreu no Museu José Malhoa, a conferência de encerramento da exposição “Um Médico na Grande Guerra. Fernando da Silva Correia”, iniciativa da associação Património Histórico - Grupo de Estudos, proferida pelo Tenente-Coronel Artilheiro Pedro Marquês de Sousa, “Portugal na Frente Ocidental da Grande Guerra (1914-1918)”.

16-01-2019 |

A conferência decorreu no Museu José Malhoa iniciativa da associação Património Histórico - Grupo de Estudos
A conferência decorreu no Museu José Malhoa iniciativa da associação Património Histórico - Grupo de Estudos
A conferência incidiu sobre as causas apontadas, à época e pela historiografia, para a entrada de Portugal na frente ocidental ou europeia da Grande Guerra. O Tenente-Coronel deu a conhecer vários aspetos da ação das tropas portuguesas em França, em termos numéricos, destacando a incapacidade de cumprir os planos inicialmente elaborados. O que terá contribuido para a derrota destas tropas aquando da grande ofensiva alemã da primavera de 1918, e na qual se enquadra a Batalha de La Lys.
Após este momento decisivo, Pedro Marquês de Sousa descreveu a situação dos portugueses que se encontravam ainda nesta frente, relacionando de uma forma bastante inovadora esta situação com o regime sidonista (à partida antiguerrista) que desde dezembro de 1917 tomara o poder em Portugal.
A conferência terminou com uma breve análise das consequências do conflito, atendendo, por um lado, ao conjunto de mortos e prisioneiros portugueses e, por outro lado, à instabilidade e à crise (a vários níveis) e que conduzirão à ditadura militar.
Seguiu-se o debate com uma assistência empenhada em discutir as temáticas abordadas, para a compreensão da Grande Guerra.
Entre outras ocupações, Pedro Marquês de Sousa, professor de História na Academia Militar, tendo apoiado o programa da Evocação do Centenário da Grande Guerra. Neste âmbito, e destacando a ação da Artilharia portuguesa e do Corpo de Artilharia Pesada Independente (CAPI) neste primeiro conflito, publicou recentemente a obra “A nossa Artilharia na Grande Guerra. 1914-1918”.
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Booking.com
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar