Login  Recuperar
Password
  4 de Julho de 2020
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Google Plus Siga a nossa página Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no Picasa Siga-nos no YouTube Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Opinião
Imprimir em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Escaparate

Rotundas Malhôa

Como é do conhecimento público, José Vital Branco Malhôa nasceu nas Caldas da Rainha, no dia 28 de abril de 1855, e morreu em Figueiró dos Vinhos, a 26 de outubro de 1933.

15-06-2020 | Rui Calisto

Rui Calisto
Rui Calisto
É estudado como sendo o percursor do Naturalismo em Portugal, sendo, também, apontado como o pintor português que mais perto chegou da corrente Impressionista. Tecnicamente não deixa dúvidas: É do mesmo porte de um Claude Monet (1840-1926), Edgar Degas (1834-1917), Edouard Manet (1832-1883), Camille Pissarro (1830-1903), Paul Cézanne (1839-1906), e Pierre-Auguste Renoir (1841-1919).
Malhôa, em toda a sua sobriedade e bom senso artístico, foi o primeiro presidente da Sociedade Nacional de Belas Artes, fundada em 1901, que tem como fundamental propósito “promover e auxiliar o progresso da arte em todas as suas manifestações…”. O Pintor de Portugal é, também, Grande-Oficial da “Antiga, Nobilíssima e Esclarecida Ordem Militar de Sant’Iago da Espada, do Mérito Científico, Literário e Artístico”, a mais importante ordem honorífica portuguesa, criada no dia 5 de julho de 1175. Sendo uma Ordem Honorífica, possui um Grão-Mestre, que, por inerência, é o Presidente da República.
Tendo em conta tudo o que disse, assalta-me uma ideia simples, porém, complexa para Caldas da Rainha: Ver os ceramistas caldenses criar as Rotundas Malhôa, transpondo, em cerâmica, e em grande escala, diversas pinturas de José Malhôa. O que poderia transformar-se numa atração turística em escala mundial.
Caldas da Rainha é um concelho recheado de rotundas, o que abranda, e organiza, consideravelmente o trânsito, porém, a maioria não possui um atrativo real, um motivo inspirador, que traga aos olhos do natural a alegria de ser caldense.
Bordalo Pinheiro não é originariamente da terra e está muito bem representado em diversos pontos desta. José Malhôa é um caldense legítimo e pouco temos dele a admirar (exceção fazemos ao excelente museu em sua homenagem, instalado no Parque D. Carlos I, mas, quantos caldenses o visitam anualmente?).
Se Caldas da Rainha dedicasse as suas rotundas a José Malhôa, certamente, em menos de um decénio teríamos um turismo cultural muito forte, igualando-nos a determinadas cidades do mundo, que investem maciçamente na projeção de suas glórias literárias, teatrais, pictóricas, etc., pelas suas ruas, avenidas e praças.
Os motivos das pinturas de Malhôa são de uma força, e de um carisma, intensos. Imaginem o espanto, daqueles que, ao adentrarem em Caldas da Rainha, vissem “A corar a roupa”, “O fado”, “A sesta”, “Gozando os rendimentos”, “Clara”, “Cócegas”, “Varanda dos rouxinóis”, “Ai, credo!”, “Velha fiando”, “Lendo o jornal”, “As promessas”, “Ilha dos amores”, “Uma boa compra”, “Gritando ao rebanho”, “O ateliê do artista”, “À sombra da parreira”, “Cuidados de amor”, entre tantas outras materializações.
Evidentemente, essas rotundas artísticas devem seguir as normas criadas, especificamente para isso, não se tornando um obstáculo para os condutores, prejudicando a visibilidade do entorno. Para não ferir suscetibilidades governativas, deve, a Câmara Municipal, ter muito presente, as regras consagradas no Manual de Dimensionamento de Rotundas, um excelente documento, elaborado pela Universidade de Coimbra e pelas Estradas de Portugal (EP).
Terá a Câmara Municipal das Caldas da Rainha fôlego financeiro para tal investimento? Com certeza, poderá ser usado um dos programas relacionados à inovação, ou ao desenvolvimento regional e urbano, financiado pela União Europeia, através dos Fundos Estruturais e de Investimento (os mesmos que contribuem para a execução da Estratégia Europa 2020).
Haja vontade e traremos o Céu à Terra!
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Booking.com
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar