Login  Recuperar
Password
  21 de Janeiro de 2019
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Google Plus Siga a nossa página Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no Picasa Siga-nos no YouTube Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Ocorrências
Imprimir em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Estrada abate em São Martinho e deixa casas em risco

Uma estrada no topo da falésia, no Facho, em São Martinho do Porto, abateu ao longo de 60 metros, na madrugada do dia 11, colocando em risco três habitações. A passagem de peões e viaturas foi interditada.

19-12-2018 | Francisco Gomes

Estrada no topo da falésia, no Facho, abateu
[+] Fotos
Estrada no topo da falésia, no Facho, abateu
O caminho do Facho, uma estrada de terra batida no topo de uma falésia em São Martinho do Porto ruiu e colocou em risco três habitações que estão próximas. A situação já estava instável e apenas os moradores podiam passar de carro. Quem quisesse passear no local, que é um bom miradouro da costa, também deixou de o poder fazer a pé. Agora nem uns nem outros têm autorização, porque as fissuras na estrada são grandes e estendem-se ao longo de 60 metros.
Os moradores que têm ali casa estão condicionados. Um deles não pode entrar na residência, que serve de segunda habitação e cujo pátio também abriu fendas.
“Fechámos o caminho e demos conhecimento à Agência Portuguesa do Ambiente (APA) , à Capitania do Porto da Nazaré, à Câmara Municipal de Alcobaça e à Proteção Civil. Já havia placas desde 2014 a proibir a passagem, porque de um momento para o outro podia haver uma derrocada”, relatou Joaquim Clérigo, presidente da junta de freguesia de S. Martinho do Porto.
A erosão e o desgaste da falésia explicam o abatimento que houve e existe o receio de que a água da chuva se infiltre nas fendas e acabe por fazer as terras voltarem a ceder.
A passagem está por isso proibida, esperando-se que todos respeitem a sinalética para não colocarem vidas em perigo.
Se as vivendas de um casal de belgas e de uma família que vive em Lisboa resvalarem “há um grande risco de ser afetada uma urbanização próxima, onde há casas habitadas".
Técnicos da APA usaram um drone para avaliar o estado da arriba. “A situação é preocupante e está muito perigoso”, vincou Joaquim Clérigo.

Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Booking.com
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar