Login  Recuperar
Password
  Sábado, 24 de Junho de 2017
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Google Plus Siga a nossa página Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no Picasa Siga-nos no YouTube Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Escolhas do Editor, Óbidos
Imprimir em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Mais de 200 idosos apresentam pedidos à Câmara de Óbidos

Mais de 200 idosos de Óbidos participaram no passado dia 2 numa Assembleia Sénior, em representação dos doze centros de dia e de convívio da rede municipal “Melhor Idade”. Durante duas horas, no Complexo Escolar do Furadouro, apresentaram pedidos à Câmara Municipal, deram sugestões e deixaram elogios e críticas.

08-02-2017 | Francisco Gomes

Assembleia Sénior no Complexo Escolar do Furadouro
[+] Fotos
Assembleia Sénior no Complexo Escolar do Furadouro
No início da sessão foram eleitos os presidentes de câmara e assembleia municipal, enquanto que o verdadeiro presidente da Câmara, Humberto Marques, passou a assessor, conduzindo os trabalhos.
Os seniores estiveram frente a frente com o executivo camarário e não hesitaram em deixar recados. Teresa Santos, do centro de convívio do Pinhal, disse que as instalações são “uma tristeza”. “É um centro frio, pequenino e o pior de todos”, manifestou, pedindo a construção da uma nova infraestrutura.
Conceição Oliveira, do centro de convívio do Bairro, lamentou que a ida à praia do Bom Sucesso “não tem as condições necessárias”. “As casas de banho são muito longe e não há quem as limpe diariamente. Os utentes fazem as suas necessidades em sítios em que mais tarde as crianças brincam”, indicou.
Também houve elogios, mas principalmente muitos pedidos. Maria Prazeres, do centro da Areirinha, pediu uma máquina de costura e um melhor aproveitamento do espaço exterior do centro através da construção de um telheiro para atividades ao ar livre no verão.
António Silva, do centro de dia da Amoreira, solicitou ajuda para a direção da unidade conseguir ampliar o equipamento social.
Outros utentes falaram da necessidade da reformulação do horário do transporte municipal Obi ou do acesso à piscina municipal durante mais horas por semana.
No final da sessão, Idália Carvalho, do Olho Marinho, contou ao JORNAL DAS CALDAS que “foi uma boa experiência porque se fala de assuntos que fazem muita falta”. Nazaré Sousa, da Usseira, que desempenhou o papel de presidente da Câmara, disse que “se não se fizerem estas coisas está tudo parado”.
A autarquia prometeu dar resposta a muitas das pretensões dos idosos, destacando a importância do seu envolvimento na comunidade.
“É um espaço de participação democrática. Nós, eleitos, desconhecemos algumas coisas, das mais simples às complexas, e temos feito estas assembleias com alguma regularidade para as pessoas depositarem os seus descontentamentos e ideias e vamos melhorando”, comentou Humberto Marques.
O autarca aproveitou a oportunidade para fazer um balanço do programa municipal “Melhor Idade”, que inclui doze centros de dia e de convívio, espalhados pelo concelho, e avançou com a novidade de um décimo terceiro a ser dinamizado na localidade da Capeleira. “O Melhor Idade foi, é e será uma prioridade”, assegurou o presidente da Câmara, sublinhando “o reconhecimento do Município pelo legado que os seniores deste concelho deixaram a todos nós”.
O presidente da autarquia explicou que o programa Melhor Idade “tem tido uma participação muito significativa, com cerca de 400 utentes inscritos e com uma frequência muito regular na ordem dos 360 utentes”. Humberto Marques destacou ainda a participação dos idosos no Desporto Sénior, “com sete turmas e cerca de 240 inscrições”.
Em relação ao acompanhamento social no domicílio, o edil assegurou que houve “um aumento considerável desde 2013”, realçando “a disponibilidade dos serviços em fazer este atendimento na própria casa das pessoas”. Uma novidade, em 2016, foi a terapia ocupacional, “que ajudou mais de 60 idosos”, assim como “o apoio psicológico, que começou o ano passado, e que vai manter-se este ano”.
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Booking.com
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar