Login  Recuperar
Password
  15 de Novembro de 2019
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Google Plus Siga a nossa página Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no Picasa Siga-nos no YouTube Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Escolhas do Editor, Sociedade, Caldas da Rainha, Educação
Imprimir em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Conferência do JORNAL DAS CALDAS com um dos mais prestigiados pediatras nacionais

Mário Cordeiro: "É preciso dizer 'amo-te'"

“É preciso dizer “amo-te”. Não é apenas “gosto de ti” - gosta-se de mousse de chocolate, nem “adoro-te” - adoram-se os deuses. É “amo-te”, porque o amor entre pais e filhos é o verdadeiro que nada pede”. Palavras do pediatra Mário Cordeiro, que foi o orador convidado da conferência organizada pelo JORNAL DAS CALDAS, que teve lugar no passado dia 20, no pequeno auditório do Centro Cultural e de Congressos (CCC) das Caldas da Rainha.

26-06-2013 | Marlene Sousa

José Viegas, Tânia Galeão, Tinta Ferreira, Jorge Varela, Mário Cordeiro, António Salvador e Susana Maria
[+] Fotos
José Viegas, Tânia Galeão, Tinta Ferreira, Jorge Varela, Mário Cordeiro, António Salvador e Susana Maria

O evento foi um grande sucesso. A afluência de cerca de duas centenas de pessoas à sessão é a prova da admiração que os caldenses têm pelo pediatra. Ao longo de mais de duas horas, o autor de diversos livros, como “1333 Perguntas para fazer ao seu pediatra" ou “Vou ser pai”, cativou o público com a sua facilidade de comunicação. 

Mário Cordeiro definiu a gravidez como "um pontapé na morte e a garantia da eternidade", uma realidade que traz muitas “alterações sentimentais e psicológicas” aos pais. Para o pediatra, “os filhos são um ecrã onde revemos o passado, o espelho onde vemos o presente e a janela onde vemos o futuro”.

Segundo Mário Cordeiro, a geração atual de pais é melhor do que a anterior. “Somos cada vez melhores pais”, afirmou, sublinhando que “os nossos filhos, se os soubermos educar, pôr regras e limites, amar e colocar o afeto acima do dinheiro e dos interesses materiais, serão melhores do que nós”. Frisou ainda que “há uma senhora que não pode fazer parte do filme que é “a dona culpa”. “É preciso responsabilização, mas não culpabilização, porque esta, além de injusta, vitimiza e paralisa”, apontou. De acordo com o orador, “somos os pais que podemos ser e sabemos ser, temos que ter a humildade para nos podermos aperfeiçoar, podemos pedir desculpa, podemos melhorar, mas podemos também dizer que somos os melhores pais que os nossos filhos podem ter”. 

Para o pediatra é importante utilizar o “bom senso” e, sobretudo, “a justiça e a firmeza”. “Não queiram ser pais perfeitos mas pais que se orgulhem de ser bons modelos”, disse.

 

“Crianças, sejam o melhor de si próprias”

 

No final, houve tempo para algumas perguntas. Alguns professores educadores e encarregados de educação presentes na conferência demonstraram a sua preocupação devido aos pais hoje trabalharem mais horas tendo menos tempo para estar com os filhos. Perante esta preocupação, Mário Cordeiro disse que “a qualidade é o fator mais importante”, explicando que “é difícil exercer qualquer atividade com qualidade se está cansado ou farto”. Aconselhou a sermos “bons gestores no tempo e escolher as melhores alturas para dar atenção aos nossos filhos”.

Questionado sobre como transmitir ao encarregado de educação que o seu filho não é bom aluno, Mário Cordeiro respondeu que se está a criar com os “rankings” uma “obsessão”, que “quase parece que não são crianças, são cavalos de corrida!”. É contra “os quadros de honra ou de excelência”. O sistema, diz Mário Cordeiro, “deveria tentar que cada aluno sinta brio e vontade de ser melhor e não, como nos quadros de honra e rankings, o melhor de todos”. Defende que as “crianças sejam o melhor de si próprias, que estabeleçam objetivos possíveis e que trabalhem para os atingir”. “Uma escola deve descobrir talentos e fomentar o gosto pela aprendizagem”, apontou, acrescentando que “o objetivo deve ser ensinar, dar informação que permita formar conhecimento, transmitir sabedoria e desenvolver a capacidade de pensar”.

Se os pais devem ser os melhores amigos dos filhos, o pediatra respondeu que “não”. “Os pais devem ser amigos mas não os melhores amigos”, afirmou.

 

Evento solidário

 

A abertura do encontro coube a António Salvador, presidente do Grupo Oeste Capital (propriedade da empresa jornalística Caldas Editora), destacando o Ciclo de Conferências levadas a cabo pelo JORNAL DAS CALDAS no âmbito da sua estratégia de expansão e maior intervenção social e cultural nas Caldas da Rainha e na região Oeste. “Para nós tem sido fundamental e é indispensável a marcação de uma agenda para relacionarmo-nos diretamente com a população e levarmos à discussão temas importantes para a sociedade”, vincou. 

A conferência contou com a presença de Tinta Ferreira, presidente da Câmara Municipal das Caldas da Rainha, que foi o orador convidado em representação do Município. O autarca, que teve o pelouro da educação ao longo de 15 anos, mostrou a sua preocupação com a evolução da sociedade do ponto vista competitivo, económico e da ocupação das famílias, que faz com que as crianças “passem demasiado tempo institucionalizadas”. “Há crianças no concelho das Caldas que entram numa determinada escola às 8h30 da manhã e saem às 19h30-20h00. Eu chamo a isso estar demasiado tempo institucionalizado porque se não está na escola está a fazer outra coisa qualquer noutra instituição”, sublinhou o autarca, que é da opinião que algumas crianças passam muito pouco tempo com a família.

O evento foi moderado por Jorge Varela, presidente da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens das Caldas da Rainha (CPCJ), que brevemente irá terminar as suas funções. Foi o seu último ato público enquanto presidente da CPCJ, realçando os méritos da Comissão, que tem trabalhado muito na prevenção. 

Na mesa do orador estiveram ainda representantes do Colégio Rainha D. Leonor (Tânia Galeão, da direção), Infancoop (Susana Maria, presidente da direção) e Associação Ordem do Trevo (José Viegas, presidente da direção), que foram parceiros do JORNAL DAS CALDAS na organização desta conferência.  

A iniciativa teve uma vertente solidária, em que se convidou o público a levar um alimento para a Associação Ordem do Trevo, com sede na Expoeste, que está a ajudar 36 famílias. O JORNAL DAS CALDAS e a Ordem do Trevo agradecem o gesto dos participantes, tendo-se conseguido recolher muitos alimentos.   

Como já é habitual a conferência teve o apoio do jornal Diário de Leiria, da Mais Oeste Rádio (que transmitiu a conferência em direto) da Makewise - Novas Tecnologias (que garantiu a transmissão vídeo para os vários sites do Grupo do JORNAL DAS CALDAS).

O evento contou ainda com o apoio da Editora Esfera dos Livros, Bertrand, Pimpões, Centro de Educação Especial Rainha D. Leonor, Colégio Luso-Internacional do Centro (CLIC), Olha-te e Clínica Etecetera Saúde.

A cake designer Catarina Rola e a table designer Sandra Campos enriqueceram o evento com a decoração da mesa dos oradores e uma prova de salgados e doces. “(De)Cor & Sabor” é como se designa este novo projeto que tem para oferecer vários pacotes de festa e organização de eventos a preços especiais, com oferta de decoração de mesa.

A conferência pode ser vista em http://www.jornaldascaldas.com/conferencias.

 

COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Booking.com
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar