Login  Recuperar
Password
  Sábado, 24 de Junho de 2017
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Google Plus Siga a nossa página Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no Picasa Siga-nos no YouTube Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Escolhas do Editor
Imprimir em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Seis caras novas, seis repetentes

PSD apresenta candidatos às doze Juntas de Freguesia das Caldas da Rainha

O PSD fez a apresentação dos doze candidatos à presidência das Juntas de Freguesia do concelho das Caldas da Rainha, no passado domingo, no Sana Hotel. Foi o primeiro ato público da candidatura de Tinta Ferreira às eleições autárquicas deste ano. Há cinco presidentes de junta que se recandidatam. Há um nome que concorreu em 2013 e perdeu. Seis são caras novas, mas com experiência autárquica. No total são onze homens e uma mulher (atualmente o PSD tem duas mulheres presidentes, em Carvalhal Benfeito e Nadadouro).

14-06-2017 | Francisco Gomes

Paulo Sousa (A-dos-Francos)
[+] Fotos
Paulo Sousa (A-dos-Francos)
Cinco presidentes de junta do PSD vão recandidatar-se: No Nadadouro, Alice Gesteiro, de 59 anos, reformada e única mulher candidata à presidência. Em Salir de Matos, Rui Jacinto, de 40 anos, designer. Em Vidais, Virgílio Filipe, de 46 anos, empresário. Na União de Freguesias de Tornada e Salir do Porto, Henrique Tereso, de 66 anos, aposentado. Na União de Freguesias de N. Sra. do Pópulo, Coto e São Gregório, Vítor Marques, de 51 anos, empresário.
Na Foz do Arelho, Fernando Horta, de 45 anos, técnico comercial, volta a concorrer, depois de ter sido presidente da junta entre 2005 e 2013, tendo nas últimas eleições perdido por oito votos para Fernando Sousa, do movimento independente MVC.
Há seis caras novas, apesar de todos terem experiência autárquica. Em A-dos-Francos, o candidato é Paulo Sousa, de 38 anos, professor e técnico desportivo. Atualmente é o presidente da assembleia de freguesia. Em Alvorninha, concorre José Henriques, de 37 anos, técnico agrícola. É membro da respetiva assembleia de freguesia. Em Carvalhal Benfeito, António Colaço, de 66 anos, aposentado, é o candidato. Desempenha a função de tesoureiro da junta. No Landal, Armando Monteiro, de 57 anos, técnico superior, é o cabeça de lista. Atualmente é o presidente da assembleia de freguesia. Em Santa Catarina, o candidato é Luís Barros, de 55 anos, empresário e dirigente desportivo. Na União de Freguesias de Santo Onofre e Serra do Bouro concorre Jorge Varela, de 40 anos, advogado e professor de Direito. Já foi deputado na Assembleia Municipal das Caldas da Rainha.

“Renovação tranquila”

Para Hugo Oliveira, presidente da comissão política concelhia do PSD, serão as primeiras eleições autárquicas que enfrentará nessas funções, o que não o intimida, porque ”depois do que foi este mandato na Câmara liderado por Tinta Ferreira, com o excelente trabalho, torna-se mais fácil com uma equipa tão boa preparar as eleições”.
“Não é por acaso que se ganha em quase todas as freguesias. É porque é feito um trabalho ao longo de quatro anos. O presidente da Câmara debate semanalmente com os presidentes de junta os problemas das freguesias. A articulação que existe é das melhores”, manifestou.
Afirmando sentir “orgulho” em ter a sala do Sana Hotel cheia, “mostrando o que é força do PSD”, Hugo Oliveira assegurou haver “uma renovação tranquila com os quadros do partido e as gentes das freguesias”.
Os presidentes que não se recandidatam “souberam dizer que queriam sair e dar o lugar a outros, continuando a dar apoio”.
Aos novos nomes alertou que “ser presidente de junta não é assim tão fácil. Se faltar a água e se houver problemas na freguesia é para o presidente que ligam. Têm de ter disponibilidade e gostar do trabalho que se faz”.
Disse também contar com o apoio dos jovens militantes da JSD.
Rui Constantino, presidente da JSD das Caldas da Rainha, frisou que Tinta Ferreira “merece a confiança da JSD”. “Não queremos ganhar apenas por ganhar, mas porque sabemos o que queremos fazer e que estamos melhor preparados”, expressou.
Indicou depois que uma das principais medidas pela qual se vai bater nos próximos anos é “a internet rápida nas freguesias rurais”, pois sem ela “os jovens que estão a estudar na universidade têm dificuldade em vir ao fim de semana. Todas as freguesias têm de ter uma internet rápida, porque senão os jovens não voltam”.

Presidente da Câmara “foi um forreta”

Paulo Sousa, candidato em A-dos-Francos, afirmou que vai “tentar dar continuidade” ao trabalho desenvolvido pelo atual presidente da junta. José Henriques, de Alvorninha, agradeceu a “confiança” que o partido depositou nele, referindo o “trabalho notável” dos seus dois antecessores na freguesia. António Colaço, de Carvalhal Benfeito, declarou ser “uma grande responsabilidade” mas estar “pronto para arregaçar as mangas”.
Fernando Horta, da Foz do Arelho, disse que “aceitei este desafio porque a freguesia está numa situação anormal”. Armando Monteiro, do Landal, prometeu “trabalho, dedicação e autenticidade”. Alice Gesteiro, do Nadadouro, confessou que “não chegaram os quatro anos para cumprir os objetivos e há muito trabalho pela frente. O feedback dos fregueses deu-me força para continuar”. Rui Jacinto, de Salir de Matos, relatou o objetivo de “trabalhar para que a comunidade se desenvolva”, esperando que o presidente da Câmara “abra mais os cordões à bolsa, porque nestes últimos quatro anos foi um forreta de todo o tamanho”.
Luís Barros, de Santa Catarina, admitiu que “durante muito tempo fui antipolítico e nunca quis cargos, e venho agora com toda a energia e dedicação para fazer um excelente trabalho na freguesia”. Virgílio Filipe, dos Vidais, manifestou que ao concorrer ao terceiro mandato “tenho de agradecer a confiança do partido em mim”. Henrique Tereso, que se recandidata em Tornada/Salir do Porto, sublinhou que o desafio “não é para pessoas que não tenham a mínima ideia do que é uma junta de freguesia”. Jorge Varela, candidato em Santo Onofre/Serra do Bouro, enalteceu o seu antecessor e prometeu “colaborar para desenvolver ainda mais a freguesia e melhorar a qualidade de vida das pessoas que aqui residem e trabalham”. Vítor Marques, candidato em N. Sra. do Pópulo/Coto/São Gregório, considerou que o PSD no concelho tem “um plantel ganhador, com provas dadas nas autarquias e suas profissões”.

“Um grupo fantástico e sem polémicas”

O cabeça de lista à Câmara, Tinta Ferreira, fez notar que o PSD concorre a todas as freguesias do concelho “com um grupo fantástico”.
Recordou que há quatro anos “propusemo-nos a fazer uma transição, procurando imprimir uma nova dinâmica, e apesar da mudança de liderança que houve, mantivemos uma maioria absoluta de vereadores, na Assembleia Municipal e em dez de doze juntas de freguesia”.
“Isto tudo apesar da grande quebra nacional que o PSD teve há quatro anos. Estávamos no auge das medidas de austeridade da Troika e as intenções de voto no PSD eram muito baixas”, lembrou.
Elencou que há quatro anos tinha sido definido um conjunto de metas a concretizar em dez anos e “estão em curso”: Hospital Termal, Lagoa de Óbidos e Linha do Oeste. No caso das termas, “decidimos assumir gestão do património e estamos a desenvolver obras e estabelecer protocolos para reabrir o hospital. Apontamos para o final deste ano ou princípio do ano que vem o início dos tratamentos com inalações. Está em curso um concurso internacional com o intuito de haver um grupo que possa transformar os pavilhões do Parque num hotel de qualidade”.
No que concerne à Lagoa, “houve a primeira fase das dragagens e estamos a trabalhar no sentido de que a segunda fase seja feita rapidamente. A informação que temos é que o concurso ainda será aberto no decorrer deste mandato autárquico”.
Sobre a Linha do Oeste, Tinta Ferreira declarou que “está a ser feito o projeto de reabilitação e tudo aponta para que até ao final de 2020/2021 seja eletrificada. Estamo-nos a bater para a aquisição de comboios novos por parte da CP”.
O autarca focou outros aspetos da sua governação autárquica: “Conseguimos fazer uma regeneração urbana na cidade que proporcionou um estilo de vida e vivência diferente. Construímos o parque subterrâneo em frente à Câmara, reabilitámos neste mandato a Praça da Fruta, avançámos com grandes eventos que trouxeram muitas pessoas ao concelho e tornaram as Caldas mais reconhecida. Há novas indústrias e outras com projetos de crescimento e a admitir mais postos de trabalho. No ensino, o município continua a ter os melhores resultados nos rankings nacionais”.
Falando depois das freguesias, anunciou que “reforçámos as competências das juntas, pela sua proximidade das pessoas”.
Mas alertou que “se é para estarem na permanente dependência da Câmara não servem para nada”. Explicou ainda que “o município para manter os impostos baixos, tem dificuldade de aumento de receita”.
Agradecendo aos autarcas que não se recandidatam e aos que se candidatam “pela causa pública e pela coragem de assumir estas funções”, Tinta Ferreira sublinhou que “são importantes as maiorias para governar, porque quanto mais força tem uma liderança maior capacidade reivindicativa tem”.
“Estamos muito unidos e não temos situações complicadas ou polémicas. É gente boa, forte e capaz. Vamos fazer uma campanha pela positiva, em prol das populações”.
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Booking.com
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar