Login  Recuperar
Password
  27 de Setembro de 2021
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Google Plus Siga a nossa página Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no Picasa Siga-nos no YouTube Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Escolhas do Editor, Educação
Imprimir em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Comunidade escolar apoia

Professora das Caldas recomendada para o “Global Teacher Prize Portugal”

A caldense Patrícia Carocha, professora de português e de francês, foi nomeada para o “Global Teacher Prize Portugal 2021”, aquele que é considerado o Prémio Nobel do Ensino. Nascida em 1977, no Hospital de Caldas da Rainha, sendo a primogénita de três filhos, tornar-se professora era um objetivo pessoal e profissional.

15-03-2021 | Marlene Sousa

Patrícia Carocha
Patrícia Carocha
Atualmente, leciona as disciplinas de português e de comunicação profissional aos 10.º e 11.º anos de escolaridade na Escola Secundária Maria Amália Vaz de Carvalho (Lisboa).
A docente referiu na sua conta de Facebook que ainda esteve para não apresentar a candidatura, todavia, fê-lo em agradecimento àqueles que a nomearam, salientando que “posso nem ganhar esta batalha, mas já ter permitido que alguém crescesse, aprendesse comigo e que levasse consigo para a vida esses ensinamentos é algo maravilhoso”. Destacou também a onda de carinho que tem recebido da comunidade escolar.
Patrícia Carocha frequentou o ensino pré-escolar na vila da Benedita, tendo transitado para o ensino primário na aldeia onde residia, no Casal da Marinha (freguesia de Santa Catarina). Revisitando aquele edifício formatado pelo Estado Novo, com um grande recreio e a “Árvore dos Estapafúrdios”, recorda que a turma de primeiro ano tinha apenas sete alunos, e que a professora, Maria Adelaide Sapinho, os “incentivou a estudar com dedicação, numa época em que não era obrigatório o prosseguimento de estudos”.
Frequentou o Externato Cooperativo da Benedita, tendo aprendido com “os melhores professores” e consolidado a vontade de ensinar. Na Faculdade de Letras (Universidade de Lisboa), optou por se dedicar aos Estudos Portugueses e Franceses e, de seguida, fazer o ramo educacional e o estágio profissional na mesma área, tornando-se apta para seguir esta carreira.
Como docente e formadora, o Ensino Regular e a Formação Profissional cruzaram-se permanentemente no seu quotidiano. Para esta professora, a diversidade de contextos de ensino-aprendizagem é uma mais-valia nesta atividade, uma vez que entre escolas (públicas ou privadas), estabelecimentos prisionais, formação profissional ou associações, muitos são aqueles que, esclarece, a tornam, a cada novo dia, “melhor professora e melhor pessoa, numa permuta constante de saberes, de leituras e de testemunhos que fortalecem o saber ser, o saber estar e o saber-saber”.
A caldense lecionou no Externato Cooperativo da Benedita (Alcobaça), Escola Básica 2/3 de Santa Catarina (Caldas da Rainha), Escola Básica 2/3 Alexandre Herculano (Santarém), Colégio Rainha Dona Leonor (Caldas da Rainha), Escola Secundária do Cartaxo, Escola Básica 2/3 José Tagarro (Cartaxo), Escola Secundária Maria Amália Vaz de Carvalho (Lisboa), Centro de Educação Especial de Caldas da Rainha, Colégio de São Cristóvão (A-dos-Francos), Escola Secundária da Lourinhã, Escola Básica 2/3 da Freiria (Torres Vedras), Escola Básica 2/3 da Lourinhã, Escola Secundária D. Dinis (Lisboa), Escola Secundária Vergílio Ferreira (Lisboa), Escola Básica 2/3 de Telheiras (Lisboa), Cencal - Centro de Formação Profissional para a Indústria Cerâmica (Caldas), Cenfim - Centro de Formação Profissional da Indústria Metalúrgica e Metalomecânica, Gabinae - Gabinete de Apoio ao Empresário e Airo - Associação Empresarial da Região Oeste.

“É uma professora que faz a diferença”

As redes sociais encheram-se de mensagens de parabéns, apreço e valorização pelo trabalho desenvolvido pela docente.
“É uma professora que faz a diferença e sabe motivar para aprender”, foram alguns dos elogios deixados por alunos atuais, ex-estudantes, docentes e dirigentes das escolas onde lecionou. Foram enaltecidas capacidades como a sua criatividade e a sua competência, qualidades que servem de estímulo “para que os alunos gostem de aprender e a valorizar o português”.
A professora e escritora Isabel Sá Lopes escreveu que conheceu Patrícia Carocha no ano letivo de 2008/2009. Foram colegas no Colégio Frei Cristóvão: “Os alunos adoravam-na e ela correspondia com alegria”, recordou, acrescentando que nas “sessões de poesia e jograis "Frei Cristóvão", ela ajudou sempre na preparação da sala e ambiente, trazendo coisas de casa para abrilhantarem as sessões”. “Falar desta professora é uma tarefa quase impossível, dada a sua dimensão humana que, aliada ao elevado profissionalismo, a tornam incansável. Completa e única”, escreveu Elisete Isaac, formanda de francês no Cencal.
Sabrina Ribeiro, responsável pelo Gabinae, referiu que foi uma das “professoras mais marcantes que esteve no centro de formação e consultoria”. “Entrega-se a cada causa de alma e coração, arrasta todos, com muito entusiasmo, para as atividades propostas, transforma comportamentos e motivações quer em crianças quer em adultos e adapta-se a diferentes contextos”, manifestou.
Teresa Amaro, professora de biologia e geologia e colega de Patrícia Carocha na Escola Secundária Maria Amália Vaz de Carvalho (ESMAVC), deixou vários elogios, entre eles a forma como “transforma o efémero e, eterniza emoções”. “É assim nas aulas e na vida. Na realidade, não faz separação. Talvez daí o segredo para a entrega, com que nos faz brilhar e voar atrás dela, percebendo aí que o que deseja é que voemos à sua frente”, comentou.
“A professora Patrícia Carocha tem um método de ensino muito próprio, inigualável, tem o dom de cativar a nossa atenção muito subtilmente, de tal modo que a nossa atenção é constante durante uma aula de 90 minutos. Impensável para muitos, mas totalmente possível nas suas aulas”, recordou Maria Inês Pinto, que foi aluna de Patrícia Carocha na ETEO. “É uma pessoa incrivelmente genuína, de uma bondade pura”, adiantou.
André Palma Carlos, atual aluno de medicina e ex-aluno de português desta docente, na ESMAVC, referiu que a “gramática virou ciência” e o “sermão desencadeou perspetivas”. “Esta nomeação é só um alento para uma alma que não se faz pequena e um trabalho que não passa indiferente”, acrescentou.
Já Cristina Ribeiro, aluna de francês no Cencal, mencionou que a nomeada do “Global Teacher Prize Portugal 2021” tem características “essenciais para lecionar com qualidade”. “Dotada de bom humor, de ótima dicção, de grande prazer no que faz, criatividade e conhecedora das suas disciplinas, que tanto gosta, consegue por isso motivar os alunos a quererem saber mais, tornando as suas aulas estimulantes”, contou.
Paul Rose, apresentador de televisão britânico que trabalha principalmente para a BBC, deu-lhe os parabéns, elogiando o seu mérito.
A caldense recebeu ainda nas redes sociais vários vídeos destacando as suas qualidades pedagógicas e humanas como professora.
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Booking.com
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar