Login  Recuperar
Password
  18 de Janeiro de 2022
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Google Plus Siga a nossa página Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no Picasa Siga-nos no YouTube Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Sociedade, Caldas da Rainha
Imprimir em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

D. José Policarpo fica mais dois anos como cardeal patriarca

22-06-2011 |

D. José Policarpo fica mais dois anos como cardeal patriarca
D. José Policarpo fica mais dois anos como cardeal patriarca
O cardeal patriarca de Lisboa, José Policarpo, natural das Caldas da Rainha, anunciou no passado domingo que o papa Bento XVI lhe solicitou que permaneça como bispo diocesano mais dois anos, depois de, em Fevereiro, ter pedido a resignação aos 75 anos. "Gostava de vos anunciar hoje, Dia da Igreja Diocesana, que o Santo Padre Bento XVI já respondeu ao meu pedido de resignação, pedindo-me que prolongue o meu ministério episcopal, na Igreja de Lisboa, por mais dois anos", disse José Policarpo durante uma homilia da missa no Externato de Penafirme, em Torres Vedras. Aos fiéis, o cardeal patriarca de Lisboa assegurou que será "até ao último minuto o bispo que Deus deu à sua Igreja, para a conduzir nos caminhos da comunhão". A 17 Fevereiro, José Policarpo escreveu ao papa a pedir a sua resignação como bispo diocesano quando completasse 75 anos - o que aconteceu no dia 26 do mesmo mês – já que o direito canónico determina que o pedido seja endereçado ao Papa antes do 75º aniversário (idade limite). “Quando a pessoa está bem de saúde, que é o meu caso, o papa tem liberdade completa. Eu próprio fico à espera de resposta e orientação”, manifestou na altura D. José Policarpo. Entretanto, o cardeal-patriarca de Lisboa foi eleito, em Maio, presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, sucedendo ao arcebispo de Braga, Jorge Ortiga. D. José Policarpo nasceu no Pêgo, Alvorninha, concelho das Caldas da Rainha, no dia 26 de Fevereiro de 1936. Após concluir o curso secundário nos seminários de Santarém e Almada, formou-se em Filosofia e Teologia no Seminário Maior de Cristo-Rei, dos Olivais. Licenciou-se em Teologia Dogmática, em 1968, pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma. D. José Policarpo é padre desde 15 de Agosto de 1961. Foi director da Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa, vice-reitor do Seminário Liceal de Penafirme e reitor do Seminário dos Olivais. Foi ordenado bispo em 1978. É patriarca de Lisboa desde 1998. Foi nomeado cardeal pelo Papa João Paulo II a 21 de Janeiro de 2001. 50 anos de sacerdócio Para celebrar os seus 50 anos de sacerdócio decorrem várias iniciativas de comemoração entre Março e Outubro. As comemorações do “jubileu sacerdotal” começaram a 19 de Março, com a abertura das comemorações no seminário de Caparide, seguida de uma conferência sobre o ministério sacerdotal do patriarca, no âmbito dos seminários e celebração eucarística. A 10 de Maio, decorreu uma sessão solene na Universidade Católica Portuguesa, em Lisboa, com a apresentação e lançamento de um livro sobre o pensamento do patriarca. ‘Atraídos pelo Infinito’ é a obra que reúne o pensamento de D. José Policarpo. “Cinquenta anos é um tempo curto demais para nos tirar a esperança e eu sinto que nós, Igreja, somos portadores de um tesouro indispensável para o futuro da humanidade. Temos nas nossas mãos uma mensagem que é decisiva”. A afirmação é de D. José Policarpo. Neste livro de homenagem são apresentadas na capa duas fotos de D. José Policarpo, com uma diferença de 50 anos. Uma imagem que agradou ao próprio: “Gosto da capa do livro, porque nestas duas fotografias são 50 anos. Querem saber o que são 50 anos? Olhem para uma e olhem para a outra. Mas verifico com alegria que em ambas há um rosto de serenidade de quem não se assusta”, frisou. Considerando-se um homem “pouco dado a homenagens pessoais”, o Patriarca de Lisboa, reflectindo sobre a actualidade e o papel a exercer pela Igreja, frisou que “a mensagem decisiva” que a Igreja é chamada a anunciar só pode ser transmitida “se amarmos a humanidade, na medida em que acreditamos nos homens, apesar dos seus defeitos e limites, aprendendo a não olhar apenas para os aspectos negativos, mas a pressentir um futuro para a humanidade”. Esta é, segundo o Cardeal-Patriarca, “uma mensagem difícil de passar” e as pessoas estão de tal maneira “preocupadas e fascinadas pelo seu presente que não são capazes de ver que a grandeza do presente do homem é o horizonte de eternidade”. Mas, acentua, “essa é a função da Igreja que não pode esquecer-se que tem nas suas mãos algo que é decisivo, hoje, para o futuro da humanidade”. Encontro em Alvorninha No dia 19 de Junho, dia da Igreja Diocesana, realizou-se no seminário de Penafirme um encontro de D. José Policarpo com toda a diocese. O dia 15 de Agosto é o do aniversário da ordenação sacerdotal, com celebração eucarística na Sé Patriarcal, com a presença dos jovens que participarão na Jornada Mundial da Juventude, que decorre em Madrid. Cinco dias depois terá lugar um encontro de familiares, conterrâneos e amigos do patriarcado em Alvorninha, nas Caldas da Rainha, com uma missa ao meio-dia, seguida de almoço-convívio. A 9 de Outubro haverá um encontro com as famílias na escola salesiana do Estoril e no dia 25 de Outubro uma celebração com o colégio episcopal e clero, seguida de uma refeição no Seminário do Cristo-Rei. Francisco Gomes
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Booking.com
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar